Parte 2 - Pedro


Marina foi a melhor pessoa que eu já conheci na minha vida. Bom, deixa eu reformular a frase. Marina é a melhor pessoa que eu já conheci na minha vida, porque ela, graças a Deus, não morreu.

Nos conhecemos quando tínhamos 16 anos. Estudávamos em escolas diferentes, mas dividimos a mesma sala durante dois anos no cursinho de inglês.


Ela era tão diferente das outras garotas, tão na dela e distraida. Vê-la a cada aula tão distante no seu mundinho me fez questionar que tipo de pessoa ela era. Sempre sozinha, sem amigos.  Com poucas palavras e uma concentração de dar raiva; ela passou a ser um ponto de interrrogação que me incomodava. Não um incômodo ruim, sabe. Mais um incômodo bom... na verdade não sei explicar.

Eu só queria uma brecha para me aproximar, mas era impossível . Ela nunca deixava, e não era só comigo não. Era o mundo inteiro. Era estranho. Ela não era feia e não devia ter baixa autoestima, devia ser outra coisa que a incomodava.

Até o dia em que encontrei a rachadura que eu precisava. Foi algo totalmente sem pretensões. Foi tão inesperado que até me supreendi. Estava lendo um livro e o levei para a sala pois morava longe e a viagem de ônibus era longa. Persuasão. Jane Austen. Ela foi a minha salvação. Mesmo depois de 10 anos ainda o tenho na estante como símbolo daquele início.

Quando entrei na sala naquele dia - 05 de Abril de 1993 - nunca vou esquecer... ela não tirou os olhos de mim. Foi tão engraçado pois nunca achei que ela notava minha presença. Era sempre eu que a olhava, a admirava, a rodeava.

Tomei coragem e perguntei se ela precisava de ajuda com o exercício. Marina ficou meia desconcertada, acho que foi naquela hora em que percebeu o que estava fazendo. Disse que não, mas me perguntou se eu curtia Jane Austen ou se era só para impressionar as garotas. Sorri meio nervoso e só balancei negativamente a cabeça. Ela sorriu.

Ela sorriu pela primeira vez; e nos meus pensamentos agradeci a Jane por ter sido a ponte que me levou até a pessoa que eu queria me aproximar.

2 comentários:

Luah disse...

Não acredito que até ele -um personagem fictício- já leu persuasão, e eu não!! Não aguento mais esperar para ler esse livro!! :(

Evany Bastos disse...

Lises já sabia que você escrevia muito bem, me avise quando posta, vocês escritores adora deixa a gente nervosa, anciosa, rsrsrs.
Bjos.