O Que Li em Maio


Olá pessoal!!



Hoje vim falar sobre as coisas boas que li no mês de maio, e foram muitas! Consegui realizar 20 leituras, e fiquei bem feliz com os livros que escolhi e também com aqueles que meio que caíram no meu colo durante o mês.

Vamos lá?




Muito justo começar com as leituras nacionais porque foi bem dividido. Dos vinte lidos, dez deles formam nacionais, e vale a pena lembrar que todos eles foram lidos no Kindle e todos fazem parte do plano Kindle Unlimited (e os links nos nomes dos livros).

Comecei com Ponto Fraco que é um conto de 33 páginas que entretem e atinge o ponto com um romance pouco provável mas que tem um final tão bonito. Teve também Eu Escolho Você que foi uma leitura muito emocional sobre Rodrigo e Isabela, que arrebatou meu coração; também é um conto com um pouco mais de 100 páginas, que vale super a pena, além de ter uma autora que escreve lindamente. 

Mudando para uma leitura mais sensual, tive o prazer de conhecer a autora Mia Scott com Harmony: Clube Secreto - Parte 1. Laura é uma personagem cheia de segredos e Nick é o homem que desvendará a alma dela. Sério gente, leiam esse livro! Fiquei impressionada com o talento dessa autora. Nunca tinha visto um romance hot tão bem escrito. 

E depois para acalmar a quentura da última leitura, fui para um romance mais levinho. Mas foi aí que me enganei, porque Improvável Destino não tem nada de levinho. Helena está passando pelo pior momento da vida dela, e precisará encontrar forças onde não sabia que existia para defender a si mesma e o que julga ser importante: a própria vida.


E a saga de nacionais continua! Mudança Radical uma leitura muito diferente, pois fazia tempo que uma protagonista era tão diferente das mocinhas fofas e toda certinhas. Marcela é irritante e quer tudo do seu jeito riquinha, mas ver seu mundo cair e precisa fazer uma mudança nos seus conceitos. 

Já em Como Encontrei Você, não foi tão bom assim. Apesar de ser um conto rápido de 34 páginas, nada nos personagens me agradou, tudo muito rápido e sem muito propósito. O mesmo aconteceu com Ele é Lindo, Mas é Meu Irmão, que tinha tudo para me conquistar pois amo livros com histórias assim, de romance em família, pode parecer louco mas eu já sabia que eles não eram irmãos de verdade (spoiler!!); mas a autora deixou muito a desejar com um enredo previsível e nada satisfatório. Insano também foi o mesmo. Sério! Eu andava numa má sorte com nacionais que tava difícil de viver... Rockstar mal humorado, que apesar de ter motivos para isso, não tinha um pingo de educação em disfarçar, e mocinha que engolia tudo. Quer mais irritante que isso?



Agora vamos voltar para leituras muito boas? SIMM! E no meio do mês de maio saiu o volume 2 da série Harmony: Clube Secreto e morri com tanta sedução entre Laura e Nick, e pude mais uma vez me deliciar mais uma vez com a escrita incrível da Mia Scott. O último nacional do mês foi com a novata Rebecca Romero com seu livro Marketing & Amor, que foi bem fofinho em algumas características e outras nem tanto, mas que num resumo é um livro bom se você quer algo diferente do convencional. 

Agora pulando para os internacionais. Quer um livro delicinha que parece sessão da tarde com uma pegada caliente? Leiam Big Rock! Spencer é um cara que tem um ego enorme, mas ele não é um personagem babaca, e tipo, foi um grande ALELUIA, porque finalmente alguma autora conseguiu fazer um personagem masculino descente e que tem valores familiares maravilhosos. Além de Spencer ter uma amizade linda com a Charlotte e o modo como tudo acontece é muito bom! Muito, muito, muito bom! Porque se você prestar atenção, apesar do Spencer estar narrando e ser o personagem principal, a autora conseguiu fazer a Charlotte ser uma personagem maravilhosa e ter um destaque lindo. Sério, leiam!! 

E Antony, gente, que livro maravilhoso também. Uma das coisas que comecei a amar nesses últimos anos é livro com máfia. E esse prequel da série Filthy Marcellos, traz a história do patriarca da família Marcellos. É um livro em terceira pessoa que conta a história do Antony muito jovem e tem uma linha do tempo linda, linda, linda; pois se tem algo que adoro em livros é quando a autora nos conta a vida quase completa de alguém, abordando tantos os pontos muito bonitos como se apaixonar, casar, ter filhos, construir família, mas também não descarta as partes tristes, que é a morte, perder alguns valores, e no meio disso tudo conseguir se tornar uma pessoa melhor. Fiquei muito viciada na narrativa da Bethany Kris.


Também fiz 2 leituras muito rapidinhas. Os primeiros dois livros da série Mr, que foram: Mr. Doctor e Mr. Seal. Os dois foram muito bons, mas o Seal me conquistou muito mais por ter sido mais trabalhado o romance, porque diferente desse, o Doctor é um pouco engraçado no início, mas depois ganha uma carga dramática muito grande que me desgastou. Mr. Seal é muito mais fofinho e tem um final tão gracinha. E quero muito ler outros da série, que tem capas muito lindas...

Dirty Play foi outro livro que quis ficar dentro dele por muito tempo! Livros de esportes né, eu tinha que gostar hahahahaha brincadeira, nem todo livros de esportes eu gosto, sou muito exigente para isso. Mas a Violet Paige criou um romance muito bom, entre um jogador e uma médica que me tirou do chão. Wes é um cara bem machão, idiota e deus do sexo no início do livro, mas após ser o maior babaca com a doutora que precisa deixá-lo curado para voltar a jogar, precisa reverter sua babaquice e tratar a médica com respeito. Além disso, foi um romance muito bem trabalhado; trazendo um casal que realmente se comunica, que briga e que se importam com o relacionamento que tem. Fiquei chocada com tudo que a autora aborda nesse livro, fazendo um romance ser realmente um romance, e não só um livro com cenas de sexo. 

E como sempre, a Alexa Riley me desanimou mais uma vez. Já estou cansada de todo livro dela ter muitas cenas de sexo sem propósito, e ainda mais grave, Trailer Park Virgin ter um triângulo amoroso bem gráfico. Odeio o que autora faz com suas mocinhas, como se elas fossem apenas um objeto nas mãos nos personagens masculinos; e ainda tem o fato delas serem todas inocentes e recatadas, mas depois serem todas fogosas. Muito ridículo!


Killer me deixou alucinada e amei, e já tem resenha aqui. E para curar minha ressaca encontrei Come Close que foi um desses livros que eu peguei sem nenhuma expectativa, só gostei muito da sinopse porque o personagem masculino trabalha num hospital psiquiátrico, e sou muito fascinada pela mente humana, então tive que ler. E não houve arrependimentos. Leitura muito boa, com um romance que cresce aos poucos e ainda tem um suspense de arrepiar.

Commander in Chief já não foi uma leitura fácil, já que estava empurrando com a barriga por meses. Ele é a continuação de Mr. President, que me deixou enlouquecida e chorei muito, mas esse segundo volume Charlotte e Matt retornaram de um jeito que eu não esperava. Além da Katy Evans ter feito um livro em que as coisas acontecem muito rápido e me deixou com a sensação de que o que estava rolando era apenas para encher linguiça. Fiquei muito triste pois esperava algo bem diferente. 

It Started With a Contract foi um daqueles livros que li pela capa mas foi só mais um pouquinho do mesmo. Adoro a Sam Crescent e como ela constrói enredos rapidinhos, mas acho que já estou entrando num círculo vicioso com ela, assim como já entrei com a Alexa, que só pela capa e ás vezes pela sinopse a gente já sabe o que vai acontecer. 

E foi isso gente!! Muito leitura legal. Gostei, achei que foi um mês bem produtivo. 

1 comentários:

Lisa May disse...

OMG!!! Quanta leitura Lisse, adorei ler sobre o mês produtivo que você teve!
Você é uma inspiração!
Beijos